Monday, May 22, 2006

Quando compreender o amor, então aprenderei a amar…

Este Fim-de-semana foi para mim muito agitado.
Celebramos na cidade a Bênção dos Finalistas do Politécnico. Sou o responsável por esse sector da pastoral, por isso imaginem como foi, uma correria, mas tudo bem, correu bem, graças a Deus. Os estudantes portaram-se bem… Como sempre.
Hoje ecoam ainda em mim as palavras do evangelho deste domingo: Permanecei no meu amor… Sereis meus amigos se fizerdes o que vos mando - Amai-vos uns aos outros como eu vos amei…
O senhor dá-nos um mandamento novo: o do amor mútuo e gratuito. Novo porque acrescenta: como eu vos amei… E ao acrescentar como eu vos amei distingue-o do amor natural. Isto é, um amor que nasce em Deus e que é derramado nos nossos corações, e que nos capacita a amarmos como Ele amou. É um amor que nos renova, que faz de nós homens novos, herdeiros da nova aliança.
A capacidade de amarmos sem medida e gratuitamente não está apenas dependente das nossas capacidades de amar mas sim do permanecermos no seu amor. É d’Ele que nos vem a força e a capacidade de amarmos como ele nos amou.
Como diz Luigi Giussani “A lei da vida não é ter isto ou aquilo, mas é amar. Tanto é verdade que foi precisamente o amor que gerou o mundo e que criou a história com um significado”.
Boa semana para todos


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Assim como o Pai Me amou, também Eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como Eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor. Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa. É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi a meu Pai. Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei, para que vades e deis fruto e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros».
(Jo 15, 9-17)

3 comments:

Tinoca Laroca said...

O Amor é algo de excelente. Não precisa de LEI, porque onde está o Amor, a Lei não tem entrada. A lei existe para a falta de AMOR.
Não precisamos de o demonstrar ao Nosso Pai pelas esquinas das ruas, nem de usar palavras repetidas, lenga-lengas que se tornam vazias e repetidas, onde não há lugar para o AMOR. O AMOR é em si mesmo ACÇÂO.
Nos suburbios humanos, há muita gente necessitada de AMOR, de quem lhes lave os pés... estão sujas, imundas e nuas.
Quem tem AMOR suficiente para isto?
"quando compreender o amor, então aprenderei a amar..."
T.

escorpiaotenhoso said...

Mais do que compreender o Amor, é fundamental vivê-lo e aceitá-lo com a naturalidade da Mãe Natureza...

O Homo Sapiens complica tudo...

ET

joana pires said...

ahah muitos parabens senhor padree carlos^^
gosteii do que descobri para aquii=) para além de violento=P tambem tem o belo dom da palavra.
oo amor flui naturalmente em nós embora por vezes se difunda, mas acabamos sempore por encontrá lo.