Thursday, April 27, 2006


Aquele que vem do Alto está acima de tudo. Quem é da terra à terra pertence e fala da terra. Aquele que vem do Céu está acima de tudo e dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. Quem aceita o seu testemunho reconhece que Deus é verdadeiro; pois aquele que Deus enviou transmite as palavras de Deus, porque dá o Espírito sem medida. O Pai ama o Filho e tudo põe na sua mão. Quem crê no Filho tem a vida eterna; quem se nega a crer no Filho não verá a vida, mas sobre ele pesa a ira de Deus.
Jo. 3, 31-36

Este é o Evangelho de hoje. Celebrei como sempre às 8h. Este texto rachou-me o coração. Não é aquele que me diz mais, na sagrada escritura, como se uns dissessem mais que outros, coisas mesquinhas da minha parte!
Mas hoje foi como uma seta que trespassou o meu peito, a minha vida a minha história. Tudo isto porque ultimamente, a minha mente tem-se ocupado muito com o material, com o prazer, sei lá mais o que, uma quantidade enorme de pensamentos…
"Quem vive como sendo da terra à terra pertence..." Ainda não descobri profundamente que pertenço a Deus, totalmente…
È um caminha a percorrer, mas ainda me sinto no inicio.
Hoje sinto uma profunda necessidade de encontrar silêncio, recolher-me no meu íntimo, esconder-me espiritualmente para me preservar e fugir aos sentidos, e conceder a mim mesmo um lugar de silêncio e de repouso interior.
É deste repouso interior que se canta: «Quando um silêncio profundo envolvia todas as coisas e a noite ia a meio do seu curso, então, a tua palavra omnipotente desceu do céu e do trono real e, como um implacável guerreiro, lançou-se para o meio da terra» (Sab. 18, 14-15):
Foi num profundo silêncio que o Verbo eterno saiu do coração de seu Pai.
É no meio do silêncio, precisamente no momento em que todas as coisas estão mergulhadas no mais profundo silêncio, quando o verdadeiro silêncio reina, que se escuta então, verdadeiramente, este Verbo.
Pois se desejas que Deus fale, precisas silenciar; para que ele entre, todas as coisas devem sair. Eu quero que Ele me fale e entre, decidi fazer silêncio.
Os meus próprios ídolos, é tudo aquilo que me impede que se opere em mim este nascimento eterno, de maneira verdadeira e imediata, por melhor e mais santo que isto possa parecer.
Nosso Senhor Jesus Cristo disse: «Eu vim trazer a espada» (Mt. 10,34) para cortar tudo o que se agarra ao homem.
Pois aquilo que te é mais chegado, eis o teu inimigo: esta multiplicidade de imagens que em ti escondem o Verbo.

6 comments:

Anonymous said...

Coragem e força!
Que no silêncio encontre todas as respostas que procura...
Sempre unidos com Cristo em oração.
Um grande abraço.

Simão said...

Enfim....ja apaguei trez vezes o meu comentario...nao encontro nada definitivo para te dizer....este teu post deixou-me feliz e pronto. A primeira etapa da santidade, é descobrir quem realmente somos. E quem realmente somos?..São Paulo da-nos uma achega:-"Nada façais por espírito de partido ou vanglória, mas que a humildade vos ensine a considerar os outros superiores a vós mesmos."(Fp 2,3).
Ai ai...é tao facil falar. Quando tu dizias que estavas no principio, eu estava a descobrir que ainda nao tinha partido.
Que a Paz do nosso Senhor Jesus Cristo esteja contigo.

MC said...

Padre Carlos

gostei da tua reflexão. Quanto aos "princípios", acho que não há nem pode haver medidas. A única "medida" de que gosto, é o "já e o ainda não".

Anonymous said...

Acredito que do silencio não só virão as respostas como também a força para continuares esse teu caminho dificil, pois, nesse silencio está Deus...e certamente sao essas dificulades que te irão dar luz para continuares esse caminho...
Nos momentos mais delicados e complicados, tudo parece escuro,sem rumo, sem paciencia,etc,etc,etc mas, importante é sentir-mos que nao estamos só...tu consegues...
Um beijo...
Força.

Malu said...

Padre Carlos,

Há silêncio e silêncio, digo eu (e quem sou eu?) que sempre vivi rodeada de gente. Muita gente e sempre precisada do 'meu' silêncio. Umas vezes, para sossegar, outrs para recolher-me e rezar. Num ou noutro, Deus ouviu-me e soube que o procurava e que procurava escutá-Lo; saber o quer de mim. Depois, entre ruídos, conversas, muito movimento e em tudo isso, também na dificuldade dos silêncios que não deixei de procurar, Ele foi sempre agindo, em mim, me dando a ver caminhos, me apontando a Sua vontade. O Padre Carlos saberá melhor que eu, mas por mim digo que só preciso estar atenta. que Ele sempre nos ouve e sabe sobre a nossa verdade e vontade. E nós, que é sempre caminho e mais caminho até se chegar Lá..

Simão,

Nós somos o que deixamos Jesus fazer em nós.

Padre Carlos, linquei-o, espero que não se importe.

kaiser said...

...não é a Vida , uma busca permanente de Perguntas e Respostas, e uma eterna insatisfação de que...ainda falta algo por Descobrir??
Um Abraço Grande